Sexta Feira, 14 de Agosto de 2020
(11) 94702-3664 Whatsapp

Gestores de escolas municipais repudiam declaração de presidente do PSDB no Facebook

Presidente do PSDB municipal apagou postagem e, depois, publicou outra dizendo que foi mal interpretada

Por Redação GuarulhosWeb

20 de Julho de 2020 as 15:34

Uma publicação - já excluída - de sexta-feira, 17/7, nas redes sociais da empresária Francislene Assis Corrêa (presidente do diretório municipal do PSDB), gerou revolta na Associação dos Gestores das Escolas Municipais de Guarulhos (Agemg). Na postagem, com a frase “Educação sem rumo”, Fran Corrêa critica o setor por supostamente demorar mais de 100 dias para encaminhar atividades aos alunos da rede municipal. “Tenho certeza que isso é tempo demais pra deixar a educação esperando”, dizia a publicação.

Incomodada, a Agemg soltou uma nota de repúdio à empresária tucana. "Informamos a senhora Francislene e demais interessados que as servidoras e servidores da rede municipal de educação, desde a ocasião do primeiro anúncio oficial do prefeito da cidade, em meados da segunda quinzena de março, todos nós servidores, assim como os munícipes, passamos a conviver em um estado de atenção e de cuidados. Nesse contexto, o trabalho da educação municipal prosseguiu sendo realizado, mas com uma abordagem especial: educar a partir da absoluta defesa da vida e da promoção da saúde de crianças jovens e adultos, quer educandos, familiares e funcionários", respondeu a associação.

"Desde o dia 16 de março o conjunto de servidores da educação atuou no diálogo com as famílias informando sobre a nova doença, seus riscos, formas de prevenção e na organização gradual para o período de quarentena que se iniciava. Conforme legislação do tema, no mês de abril foi antecipado pelas autoridades competentes o recesso escolar. Apesar disso, gestores/as das escolas municipais deram sequência ao trabalho habitual, mas que no novo cenário ganhou dimensões de ainda maior complexidade. Tivemos parceria e integração para a educação das crianças, jovens e adultos", continuou.

"Cabe pontuar, que no retorno do recesso escolar, 04 de maio, seguindo as diretrizes da Secretaria Municipal de Educação, a proposta curricular do município (QSN 2019) e, considerando os desafios impostos para o atendimento de mais de 100 mil educandos da rede, as equipes escolares sob a coordenação da gestão escolar iniciou um processo de construção coletiva das ações que desde então foram promovidas junto aos educandos", completou a nota. 

Após a repercussão, Fran Corrêa apagou a publicação original e emitiu um novo post alegando que não tinha a intenção de atacar os professores. "Sei das lutas diárias de cada professor e professora da rede pública municipal para minimizar o impacto da falta de compromisso desta administração de Guarulhos”, disse Fran. “Aproveito a oportunidade para me desculpar com aqueles educadores que tenham eventualmente se sentido atingidos”, complementou.