Terça Feira, 20 de Outubro de 2020
(11) 94702-3664 Whatsapp

Oftalmologista alerta para os riscos de acidentes com álcool em gel

O tratamento de regeneração da córnea pode durar de 7 a 15 dias

Por Katia Russões / Foto: Freepik

26 de Agosto de 2020 as 08:56

Após a ampla divulgação da importância de usar o álcool em gel, diversas empresas passaram a comercializar embalagens e equipamentos para utilização do produto. No dia 16 de agosto, um menino de 4 anos, teve os dois olhos atingidos, quando acionou um dispositivo em um totem dentro de um shopping. O caso não é isolado. Médicos alertam para os cuidados ao manusear o líquido. 

Para o oftalmologistas da Unimed Guarulhos, Claudio Nakano, é importante que as mães fiquem atentas sempre que o produto esteja próximo. Além disso, ele chama a atenção para que as empresas façam a devida calibragem de seus equipamentos e embalagens, além de verificar a qualidade do álcool em gel para diminuir os riscos de acidentes.  

“As crianças muitas vezes não tem noção do perigo do álcool em gel. Alguns acham é um sabonete líquido. É importante que os pais estejam sempre próximo quando a criança faz o uso”, alertou. 

Segundo o oftalmologista, o álcool em gel pode causar queimadura da córnea, conjuntiva - membrana mucosa que reveste a parte interna da pálpebra - e até a queimadura das pálpebras, com menos frequência. 

O médico explica que a primeira coisa a fazer é procurar um local com água corrente. É necessário que os olhos sejam abertos e deixe correr de 1 a 2 litros de água. “No caso das crianças, a mãe deve abrir os olhos com os dedos, mesmo que seja um incômodo. A água precisa entrar em contato com os olhos, isso vai ajudar a retirar resíduos do produto”, explicou. Na sequência, é necessário procurar um oftalmologista que vai avaliar os danos causados e indicar um tratamento. 

A recuperação pode durar de 7 a 15 dias para a regeneração da córnea. O médico alerta ainda para as dores, que podem incomodar. São utilizadas pomadas e lubrificantes durante o tratamento. 

No acidente do shopping, a crianças de 4 anos chegou a ficar cinco dias sem abrir os olhos. E passou por procedimentos de raspagem dos olhos para retirada do produto.