Terça Feira, 27 de Outubro de 2020
(11) 94702-3664 Whatsapp

Câmara de Cuiabá rejeita afastamento de prefeito denunciado por propina no paletó

MT/MENSALINHO/CUIABÁ/PREFEITO/ALEMT/AFASTAMENTO/REJEIÇÃO

Por Pedro Caramuru

29 de Setembro de 2020 as 16:41

A Câmara Municipal de Cuiabá (MT) arquivou nesta terça-feira, 29, o processo de afastamento e cassação do mandato do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB).

Por 15 votos a 8, os vereadores rejeitaram parecer da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Paletó, que pedia o afastamento de Pinheiro por 180 dias e instauração de comissão processual de cassação do mandato do prefeito por obstrução de justiça e recebimento ilícito de valores.

Esta é a segunda vez que a Câmara da capital mato-grossense vota o mesmo parecer da CPI.

Em julho, a Casa havia decidido também pelo arquivamento da denúncia contra o prefeito, porém decisão do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ-MT) anulou a sessão por falta de atendimento aos ritos regimentais e remarcou a reunião.

Candidato à reeleição, Pinheiro lidera as intenções de voto na eleição deste ano em Cuiabá.

Segundo pesquisa do instituto Analisando, o prefeito tem 38,1% contra 14% do segundo colocado, o ex-prefeito Roberto França (Patriota).

A pesquisa foi realizada entre 22 e 24 de setembro com 1.

199 eleitores, a margem de erro é de 3 pontos porcentuais para mais ou para menos, o índice de confiança é de 95% e o levantamento foi registrada no TRE sob número MT-06212/2020.

Denúncia de corrupção Apesar da decisão de hoje da Câmara, Emanuel Pinheiro é réu na Justiça Federal.

Há duas semanas foi acatada denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal sobre o "caso do paletó".

Em 2017, o ex-governador do Mato Grosso, Silval Barbosa, entregou à Procuradoria-Geral da República (PGR) uma gravação em que Pinheiro, à época deputado estadual, guardava no paletó maços de dinheiro recebidos no gabinete do ex-chefe de gabinete do ex-governador, Sílvio Corrêa Júnior.

No vídeo, o prefeito chegou a derrubar um dos maços e se abaixou para pegá-lo do chão.

À época, ele negou o recebimento ilícito e informou que iria provar na Justiça.

Durante a sessão desta terça-feira, o vereador Abílio Júnior (Podemos) usou a imagem de Pinheiro colocando maços de dinheiro no paletó como plano de fundo de sua transmissão durante a votação.

A sessão teve ainda bate-boca entre os vereadores e o presidente da Casa Misael Galvão (PTB)